sexta-feira, 22 de julho de 2016

Seminário do Afroempreendedor

Evento gratuito discute sobre os desafios e oportunidades de empreendedores negros a frente dos pequenos negócios

Os afrodescendentes são maioria entre os empreendedores brasileiros. De acordo com levantamento feito pelo Sebrae, com base nos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), Entre 2003 e 2013, o número de pessoas negras/pardas a frente de empresas no Brasil cresceu 24%, passando de 9,5 milhões para 11,8 milhões de pessoas. Somente em 2013, dos 23,5 milhões de donos de negócios no país, 50% eram afrodescendentes e 49% brancos.

Para compreender a diversidade empreendedora e promover o crescimento e desenvolvimento social e econômico dos negócios, gerando oportunidades para todos os empreendedores, o Sebrae Minas realiza o Seminário Afroempreendedor, no dia 27 de julho, em Belo Horizonte. Inscrições gratuitas:www.sebrae.com.br/minasgerais.

Durante o seminário, os afroempreendedores irão participar de discussões sobre empreendedorismo, mercado, diversidade étnico-racial, comunicação, design e moda.

Serão promovidas palestras sobre “Identidade e Diversidade”, com a professora Nilma Lino Gomes (UFMG), e “Cenários do Afroempreendedor”, com João Carlos Nogueira, da Rede Brasil Afroempreendedor (Reafro). No Giro de Mercado, os participantes terão a oportunidade de troca de experiências entre empreendimentos, agências de publicidade e designers.

Já o painel “Educação das Relações Étnico-Racial para Comunicação, Design e Moda” será mediado por Sandrinha Flávia e terá a participação de Dalmir Francisco, professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Nayara Garófalo, pesquisadora da PUC Minas e integrante do Conselho Municipal de Políticas de Igualde Racial em Belo Horizonte, Rafael Gregório, analista do Sebrae Minas e designer gráfico, Aldo Clecius, professor do Centro Universitário UNA, e Enia Dara, designer de moda e proprietária da grife afro-brasileira de mesmo nome.

Donos de negócio negros e pardos:

* Respondem por 50% dos donos de negócio do país;

* Têm proporcionalmente menos anos de estudo (6,5 anos);

* São mais jovens (em média têm 43 anos);

* Recebem um rendimento médio mensal que equivale a menos da metade do recebidos pelos donos de negócio brancos;

* Têm a maior proporção de pessoas que começou a trabalhar até 17 anos;

* Têm menos acesso aos recursos de telefonia e informática;

* Menor proporção de pessoas coberta por algum sistema de previdência;

* Menor proporção de pessoas que trabalha em local fixo urbano;

* Maior percentual de indivíduos que trabalha na construção;

* Maior concentração no nordeste do país.

Fonte: Pnad/2015

Seminário Afroempreender
27 de julho, das 17h às 22h
Sede do Sebrae Minas - Avenida Barão Homem de Melo, 329 - Nova Granada
Belo Horizonte/MG
Entrada gratuita

Simone Guedes | Imprensa / Sebrae Minas

Seguidores