quinta-feira, 13 de maio de 2010

Uberlândia e Uberaba reduzem criminalidade violenta

As cidades de Uberlândia e Uberaba, no Triângulo Mineiro, apresentaram reduções nos índices de criminalidade violenta em 2009, na comparação com o ano anterior. Os números estão no Anuário de Informações Criminais 2009, documento divulgado hoje pela Fundação João Pinheiro (FJP) e pelo Sistema de Defesa Social. 

Uberlândia apresentou redução de 19,4% na incidência de crimes violentos (inclui roubos, estupros, tentativas de homicídio e homicídios consumados), passando de uma média mensal de 60,17 ocorrências por grupo de 100 mil habitantes, em 2008, para 48,49 ocorrências por 100 mil habitantes, registradas em 2009. 

Já Uberaba reduziu a incidência de crimes violentos de 57,89 casos por 100 mil habitantes, em 2008, para 48,51 por 100 mil habitantes, em 2009 – uma redução de 16,2% no ano. As cidades são sedes de Regiões Integradas de Segurança Pública (RISPs), que reúnem Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros, permitindo criação e implementação de estratégias integradas de combate ao crime. 

Ações específicas 

Apesar dos resultados favoráveis na redução da criminalidade violenta em geral, Uberlândia e Uberaba apresentaram aumento no número de homicídios em 2009. O Anuário mostra que em Uberlândia, em 2008, a taxa média mensal de registros foi de 0,98 ocorrência por 100 mil habitantes, contra 1,43 ocorrências por 100 mil habitantes em 2009. Esses números representam um crescimento de 46%.

Para o comandante da 9ª Região de Polícia Militar, Dilmar Crovato, o aumento dos homicídios em Uberlândia durante 2009 deveu-se a disputas no tráfico de drogas na cidade. Ele ressalta que o crescimento é pontual e foi alvo de ações específicas das Polícias. "Mapeamos as regiões com maior incidência de homicídios e ajustamos nossa estratégia", explica.

Uma das ações, segundo o oficial, foi a expansão do Grupo Especializado de Policiamento em Áreas de Risco – GEPAR, da Polícia Militar, para seis bairros da cidade. O GEPAR atua como polícia comunitária e provou sua eficácia em áreas de risco social na capital e outras cidades do Estado. 

Em Uberaba, o crescimento na taxa de homicídios foi de 22,6%, passando de 0,82 a 1,00 ocorrência por 100 mil habitantes em 2008 e 2009, respectivamente. O reduzido número absoluto de ocorrências, por sua vez, desponta como fator que intensificou essa variação: a cidade teve 36 homicídios durante todo o ano de 2009, contra 29 no ano anterior. 

Investimentos

Uberlândia e Uberaba receberam, entre 2003 e 2009, cerca de R$76 milhões em investimentos na área de Defesa Social. Somente em 2009, as cidades receberam, respectivamente, R$12 milhões e R$5,6 milhões, que foram alocados na construção e reforma da infraestrutura policial, novos equipamentos e tecnologias e na expansão do Sistema Prisional. 

Na área de prevenção à criminalidade, o investimento referente ao período de 2007 a 2009 para manutenção dos núcleos e dos programas Ceapa, Fica Vivo!, Egresso e Mediação, todos disponíveis em Uberlândia e Uberaba, foi de cerca de R$ 4,4 milhões.

O Triângulo Mineiro conta com duas Regiões Integradas de Segurança Pública (RISP). Está em andamento a construção da unidade física da RISP de Uberaba. Com inauguração prevista para o primeiro semestre de 2010, a obra está avaliada em R$ 8 milhões.

 A RISP de Uberaba reunirá no mesmo espaço a 5ª Região de Polícia Militar (RPM), o 5º Departamento de Polícia Civil (DPC), o Comando Regional de Bombeiros, a sede da Integração da Gestão em Segurança Pública (Igesp), um Batalhão de Polícia Militar e a Delegacia Regional de Polícia Civil, compondo uma Área de Coordenação Integrada de Segurança Pública (Acisp).

A Secretaria de Estado de Defesa Social possui ainda cinco unidades prisionais no Triângulo Mineiro, sendo duas penitenciárias, três presídios, um centro socioeducativo e uma Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (Apac). 

Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado de Defesa Social


--
farolcomunitario | rede web de informação e cultura
coletivo de imprensa | www.coletivodeimprensa.jor.br

Seguidores