sábado, 30 de janeiro de 2010

Alunos da rede estadual de ensino voltam às aulas nesta segunda-feira

BELO HORIZONTE (29/01/10) - Nesta segunda-feira, dia 1º de fevereiro, mais de 2,5 milhões de alunos da rede estadual de ensino voltam às aulas em Minas Gerais. Com o início do ano letivo, a Secretaria de Estado de Educação (SEE) traz novidades como o aumento da oferta de vagas para o período diurno no Ensino Médio e o funcionamento das novas escolas rurais no padrão casa escola. Em Belo Horizonte, cinco novas escolas vão funcionar com um padrão diferenciado de atendimento e a área rural recebe 42 novos prédios escolares. A inauguração de quatro novas escolas em áreas de vulnerabilidade social e a reabertura da Escola Estadual Pedro II, no centro de Belo Horizonte, marcam o esforço do Governo de Minas em proporcionar um ensino de qualidade para os alunos de Minas.

Vagas no Ensino Médio

A SEE tomou medidas para fortalecer o Ensino Médio nas escolas de Minas Gerais em 2010. São 516 novas turmas, que vão beneficiar quase 24 mil alunos no Estado, entre estudantes do Ensino Médio regular diurno e da modalidade Educação de Jovens e Adultos (EJA) no período noturno. Atualmente, a SEE oferece mais de 700 mil vagas no Ensino Médio regular e com o intuito de evitar a evasão escolar, a maioria dessas vagas é ofertada no período diurno. "Há uma necessidade de trazer o Ensino Médio para o diurno, porque os alunos chegam cada vez mais novos. Para aqueles que não trabalham, estudar à noite é um dificultador", explica a subsecretária de Desenvolvimento da Educação Básica, Raquel Elizabete de Souza Santos.

Outra medida para fortalecer o Ensino Médio é a ampliação de vagas nas unidades do Centro Supletivo de Educação Continuada (Cesec). Para 2010, foram criadas sete novas unidades do Cesec e em outras 11 já existentes foi implantado o Ensino Médio, o que vai beneficiar quase sete mil estudantes. No Cesec, o aluno realiza um estudo de forma semipresencial. A SEE também ampliou o número de vagas para Educação de Jovens e Adultos e de escolas que vão oferecer o curso normal que capacita profissionais para atuarem na educação infantil.

Quatro novas escolas

As comunidades dos bairros Taquaril, Belmonte, Paulo VI e Jardim Vitória vão receber, em 2010, quatro novas escolas integradas ao projeto Escola Viva, Comunidade Ativa. Todas elas vão ofertar o Ensino Médio regular no diurno e o EJA no noturno, com exceção da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio do Bairro Taquaril, que também vai ofertar os anos finais do Ensino Fundamental.

Com essas escolas, a rede estadual de ensino ganha 4,5 mil alunos. Esses estudantes vão ter acesso a salas de oficina de artes, multimeios, laboratórios de informática e ciências, a quadra coberta com vestiário, além de outros recursos. Criadas dentro do conceito já consolidado do Projeto Escola Viva, essas escolas desenvolverão uma série de atividades para garantir o aprendizado e conter a evasão entre os estudantes de Ensino Médio. A proposta prevê o envolvimento das comunidades dessas áreas de alta vulnerabilidade social fazendo com que as pessoas se sintam integradas ao novo espaço e também passem a cuidar da escola.

Reforma da EE Pedro II

Apesar de ter mais de 80 anos de história, o prédio da Escola Estadual Pedro II vai se tornar referência de modernidade. Fechado desde 2007 para obras, a escola vai reabrir este ano repleta de inovações. Inicialmente, a escola vai receber 380 alunos, distribuídos em 12 turmas, de 6º e 7º anos do Ensino Fundamental e 1º ano do Ensino Médio, sendo quatro de cada. Esses estudantes terão uma carga horária maior e contarão com outras atividades incorporadas na matriz curricular. Todo aluno passará, pelo menos uma vez na semana, o dia inteiro na escola e poderá usufruir da estrutura especial da nova Pedro II. O prédio terá salas temáticas, nas quais serão desenvolvidas a prática de esportes indoor, além de oficinas pedagógicas e aulas especializadas.

Os professores vão trabalhar em regime de dedicação exclusiva e contarão com o apoio de consultores externos para desenvolver as atividades. A escola também contará com turmas no período noturno para a Educação de Jovens e Adultos, que vão beneficiar 250 alunos. Serão ofertados três cursos profissionalizantes, na área de Gestão e Administração de Negócios, por meio do Programa de Educação Profissional (PEP) EJA.

O prédio da Escola Estadual Pedro II foi inaugurado em 1926 e tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha/MG) em 1982. O prédio foi projetado pelo arquiteto Carlos Santos e exibe elementos da arquitetura barroco-rococó. O custo da obra foi de R$ 3,85 milhões.

Casa Escola

A SEE criou o projeto Casa Escola para atender as populações rurais que vivem em regiões distantes dos centros regionais, em municípios com grandes extensões territoriais e baixa densidade populacional. Em 2010, 42 novas unidades escolares vão começar a funcionar.

As casas escolas são pequenas, com construções típicas das áreas rurais do estado. As turmas, com no máximo 65 alunos, são distribuídas de uma a três salas de aula. Os prédios ainda contam com cozinha e refeitório com despensa, fogão à lenha, fogão a gás, secretaria que pode servir de dormitório, banheiros e varanda. Também são características das construções: o pé direito mais alto, janelas e basculantes estrategicamente instalados para facilitar a circulação de ar. As unidades foram construídas 40 centímetros acima do solo para diminuir o calor interno. Reservatório de captação de água pluvial e instalação elétrica com rede lógica para o uso de internet também fazem parte do espaço.

Até outubro de 2010, 319 obras devem ser concluídas, sendo 152 novos prédios e 167 reformas no padrão Casa Escola. Essas novas unidades vão assegurar que 100% das escolas estaduais de área rural tenham boas condições de funcionamento.

Ensino Fundamental de nove anos

Este é o último ano para que os estados brasileiros se adequem à Lei de Diretrizes e Bases, que prevê a universalização do Ensino Fundamental de nove anos. Minas Gerais, contudo, já recebe 100% das crianças de seis anos do estado nas escolas estaduais e municipais desde 2006. Em 2010, 170 mil novos estudantes vão ingressar na rede pública no primeiro ano do Ensino Fundamental e vão poder colher os frutos de uma educação cada vez melhor. Em 2006, por exemplo, o percentual de crianças da rede estadual que liam e escreviam com autonomia no 3º ano era de 48,7%, já em 2009 esse índice pulou para 72,6%. E para garantir que a qualidade continue em ascensão, a Secretaria de Educação vai encaminhar este ano um guia de novas práticas pedagógicas para todos os professores de 1º a 5º ano do Ensino Fundamental.

Agência Minas
--
farolcomunitario | rede web de informação e cultura

Seguidores