sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Alunos da rede estadual conquistam a maioria das medalhas da Olimpíada de Matemática

BELO HORIZONTE (18/12/09) - A rede estadual de ensino conquistou resultados expressivos dentro do quadro de medalhistas mineiros da V Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep). Os alunos das escolas estaduais conseguiram 483 medalhas, do total das 776 recebidas pelo Estado. Quando os resultados são apresentados por categorias, as conquistas da rede estadual também se apresentam em maior número. Das 71 medalhas de ouro, 36 são de alunos das escolas estaduais. Na categoria prata são 124 medalhas, do total de 223 e com o bronze são 323 medalhas do total de 482.

Em relação ao número de professores premiados em Minas Gerais, a rede estadual conquistou quase a totalidade. Dos 26 professores premiados, 23 lecionam em escolas estaduais.

 Minas Gerais conquistou o maior número de medalhas na V Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep).  O Estado ganhou 776 medalhas, das três mil distribuídas neste ano. São Paulo ficou em segundo lugar, com 655 medalhas, seguido pelo Rio de Janeiro, com 319. O primeiro lugar nacional do nível 3 (Ensino Médio) ficou com o mineiro Cássio Henrique Vieira Morais, do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Viçosa – Coluni, em Viçosa, Sul de Minas.

A classificação por categoria também apresenta Minas Gerais na ponta. São 71 medalhas de ouro, contra 53 do Rio de Janeiro e 52 de São Paulo. Na categoria prata, os alunos mineiros conquistaram 223 medalhas, os paulistas 203 e os fluminenses 123. Com o bronze foram 482 medalhas de Minas, 400 de São Paulo e 143 do Rio de Janeiro.

Segundo a secretária de Estado de Educação de Minas Gerais, Vanessa Guimarães Pinto, o bom desempenho de Minas na olimpíada se deve ao compromisso do Estado com esse torneio que existe desde 2005. "A adesão à Obmep foi desde o governador até o aluno, passando pela Secretaria de Estado de Educação, as secretarias municipais de educação, professores, diretores, universidades e coordenadores da Obmep no Estado". A secretária ainda destaca: "abraçar a Obmep foi uma estratégia importante para o aprendizado da matemática".  O desempenho de Minas ao longo das edições da olimpíada também foi ressaltado pelo coordenador da Obmep na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), professor Seme Gebara Neto. "Isso reflete, de certo modo, o envolvimento do estado com a Olimpíada e a qualidade do ensino público de Minas Gerais", aponta. Todos os anos, os alunos e professores premiados pela Obmep são homenageados pelo Governo de Minas.

Tetracampeões

Dos 17 tetracampeões nacionais medalhistas na categoria ouro, seis são de Minas Gerais, sendo dois da rede estadual, um da rede municipal e três da rede federal. Em 2009, o número de inscritos na Obmep em todo o país foi superior a 19 milhões, superando os 18 milhões do ano passado. De acordo com a Diretora Acadêmica da Obmep, professora Suely Druck, o propósito da olimpíada vem sendo atingido mais rápido do que se esperava. "Surgimos com a proposta de intervir no ensino da matemática e identificar os jovens talentos da carreira científica. Neste ano, 10% da população brasileira participaram da Obmep", ressalta.  Em 2009, mais de 4.200 escolas mineiras se inscreveram nas olimpíadas, número maior que o de 2008, que contou com cerca de 3.850 escolas. 

O estudante Marcos Vinícius Araújo Sá, de 17 anos, da Escola Estadual Dom Cirilo de Paula Freitas, em Raposos, Região Metropolitana de Belo Horizonte, é um dos alunos mineiros medalhistas de ouro da Obmep 2009. Para ele, a conquista veio coroar o seu empenho ao longo do ano. "Eu fiz questões das provas anteriores e tive apoio da minha professora de matemática antes de participar da V Obmep", explica o estudante que pensa em um futuro na área das exatas. Ele passou para a segunda etapa do vestibular da Universidade Federal de Minas Gerais, com o curso de matemática. A dedicação do estudante também foi destacada por sua mãe, Roseli Caetano Araújo Sá. "Só tenho a agradecer a Deus pela dedicação dele. Ele correu muito atrás desse ouro", destaca.

 Na Obmep, os alunos medalhistas nas categorias ouro, prata e bronze participam do Programa de Iniciação Científica Júnior (PIC). De acordo com o coordenador de iniciação científica da região de Belo Horizonte, Renato José de Moura, atualmente participam do programa em todo o país cerca de 3 mil alunos. Deste total, aproximadamente 700 estudantes são mineiros. O coordenador explica que a participação dos alunos no programa é uma oportunidade de aprimoramento nos estudos como um todo.  "Os pais me falam que a participação na Obmep faz com que os alunos não melhorem o rendimento apenas no estudo da matemática, mas das outras matérias", avalia.

Em todo o país, 128 professores foram premiados. Deste total, 26 são de Minas Gerais. Para a premiação desses professores é levado em conta o número de alunos medalhistas nas categorias: ouro, prata, bronze e menção honrosa.

Lecionando há 24 anos, Alaíde Antunes das Chagas e Freitas, foi uma das professoras premiadas pela V Obmep. Na Escola Estadual José Américo Barbosa, município de Mato Verde, extremo Norte de Minas, ela é responsável por inscrever os alunos na competição, além de dar aula de matemática. Segundo a professora, o envolvimento dos alunos com a disciplina vem aumentando ao longo dos anos. "Quando estudam a matemática, os alunos veem que é fácil. Um vai estimulando o outro e no final todo mundo fica contagiado", destaca a professora que é tricampeã na premiação. "Quando soube do resultado deste ano fiquei feliz como da primeira vez. É a recompensa do nosso trabalho. Eu me encontrava com os alunos em horário extraclasse para estudar a disciplina", lembra.

A Obmep é realizada pelo Ministério de Ciência e Tecnologia (MCT), Ministério da Educação (MEC), Instituto Nacional de Matemática Aplicada (Impa/MTC) e Sociedade Brasileira de Matemática (SBM).

Agência Minas

--
farolcomunitario | rede web de informação e cultura

Seguidores