segunda-feira, 20 de julho de 2009

Missa marca o início de safra da Cia Energética Vale do São Simão

Foto 1 - Galpão  ficou tomado por dirigentes, funcionários e convidados para a missa

Foto 2 - Padre Martin celebrando a Missa de Início de Safra

No dia 18 de julho, foi celebrada Missa em Ação de Graças marcando o início dos trabalhos da safra de açúcar e álcool de 2009, da Cia. Energética Vale do São Simão, do Grupo Andrade, localizada em Santa Vitória. A Missa foi celebrada pelo padre Tomas Eonna Oseaghdha com a participação de dirigentes da Usina, autoridades, funcionários e convidados.

O presidente do grupo, José Carlos de Andrade, agradeceu, em nome de toda a diretoria, a presença de todos, destacando a importância daqueles que colaboraram para a concretização da usina, afirmando que, mesmo com os obstáculos, está convicto que o grupo obterá muito sucesso. "Sabemos que não foi e nem será fácil, mas não temos medo disso, teremos obstáculos e circunstâncias que podem tornar nossos planos inúteis, mas estamos determinados", disse ele. "Sabemos que temos a capacidade, a experiência, as habilidades essenciais e, principalmente, as pessoas certas. Trabalhamos muito e estamos preparados para trabalhar ainda mais, pois temos certeza que vamos obter muito sucesso", concluiu.

Segundo o diretor Alexandre Bicalho de Andrade, a safra deve acabar no final de outubro com a perspectiva de moagem de 1 milhão de toneladas de cana, visando a produção de 40 mil metros cúbicos de álcool e 88 mil toneladas de açúcar para exportação. Disse ainda que este ano a usina irá gerar energia elétrica para consumo próprio, a qual irá exportar a partir de fevereiro de 2010.

Na ocasião, o prefeito Antônio Celso destacou que Santa Vitória está vivendo um momento muito importante, onde muitos estão tendo a oportunidade de trabalhar, aprender e crescer. Finalizou dizendo que é preciso empenho por parte do poder público, destacando que o sucesso da empresa, será também o sucesso do município. "Este momento iluminado significa para Santa Vitória a diferença social diminuída, e o poder público não pode em hipótese nenhuma estar alheio a isso, ou seja, tem que estar participando, ajudando de alguma forma", comentou. "Já doamos mais de 60 terrenos em Chaveslândia para que ela possa dar abrigo aos seus funcionários, inclusive, estamos participando nas melhorias das estradas, mas, o que é mais importante, também estamos investindo nos trabalhadores de Santa Vitória, promovendo cursos de capacitação, para que essas pessoas possam receber a oportunidade do emprego aqui. As pessoas que tem menos vão poder se igualar e ter mais coisas, ter mais oportunidade", finalizou.


--
farolcomunitario | rede web de informação e cultura

Seguidores