sexta-feira, 17 de julho de 2009

Exportações têm participação de novos municípios no Estado

Exportações têm participação de novos municípios no Estado

BELO HORIZONTE (17/07/09) - Nove municípios mineiros estrearam nas exportações ou voltaram a exportar no primeiro semestre deste ano, entre eles Arapuá, no Alto Paranaíba, que começou a colocar queijo no mercado internacional. Merecem destaques, ainda, dois municípios que ampliaram suas vendas externas: Buritis (Noroeste), com exportações de outros grãos de soja para China, Espanha e Alemanha, e Rio Acima (Região Metropolitana de Belo Horizonte), que aumentou a exportação de ouro em barra, fios e perfis para o Reino Unido, Suíça, Emirados Árabes e Estados Unidos. Ambos contabilizaram negócios acima de US$ 10 milhões. 

A informação foi divulgada pela Central Exportaminas, unidade vinculada àSecretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), que realiza mensalmente o Mapeamento das Exportações de Minas Gerais. Os dados revelam ainda que 225 municípios mineiros operaram no mercado internacional nos seis primeiros meses de 2009, com um volume exportado de US$ 9 bilhões. O número é inferior em 5,5% ao verificado no primeiro semestre do ano passado. 

A pauta exportadora de Minas Gerais continua diversificada, com a venda ao exterior de 2.339 produtos distintos. Entretanto, os 10 principais produtos respondem por quase 70% do total exportado, demonstrando um aumento da dependência do Estado em um número reduzido de produtos. 

Dentre os principais produtos exportados pelo Estado nesse primeiro semestre de 2009, destaque para os minérios metalúrgicos, os complexos soja e sucroalcooleiro, que apresentaram crescimento no valor exportado, ao contrário da média geral. Os produtos da cadeia minero metalúrgica continuam dominando a pauta exportadora mineira. Mesmo diante da queda das exportações do grupo "produtos metalúrgicos" (-50%), as vendas internacionais dessa cadeia ainda representam 54% de toda a pauta mineira. Já os grupos de produtos do agronegócio, como oleaginosos, açúcares, complexos soja e sucroalcooleiro, produtos hortícolas, dentre outros, aparecem em destaque nas exportações, com grande expansão relativa nos primeiros seis meses do ano. 

Foram exportados 58 grupos de produtos no primeiro semestre, mas apenas 22 apresentaram variação positiva em relação ao mesmo período de 2008. Entre os principais grupos de produtos exportados, apenas três grupos apresentaram crescimento em relação ao ano passado: minérios metalúrgicos, complexo soja e complexo sucroalcooleiro. Os grupos que mais contribuíram para o crescimento das exportações compõem-se primordialmente de commodities e seus derivados diretos. 

Concentração 

Minas Gerais manteve-se, até junho de 2009, como o segundo maior exportador brasileiro, com 12,9% do total exportado pelo Brasil, ficando atrás apenas de São Paulo. Dentre os principais estados exportadores, Minas foi o Estado que apresentou menor queda nas exportações (14,8%) em relação ao primeiro semestre de 2008. 

A queda das exportações do Estado é consequência, principalmente, da redução das exportações dos municípios da região Central (-18,3%) tendo em vista que ela responde por 54,7% do total exportado pelo Estado, mantendo a forte concentração regional. Mas, o principal destaque negativo coube ao Alto Paranaíba, que reduziu em 50,6% o valor exportado, em função de queda nas exportações de ferronióbio de Araxá. Por outro lado, duas regiões – Noroeste (+ 78,6%) e Triângulo (+ 33,8%) – apresentaram crescimento do valor exportado. 

Ao comentar os resultados, o diretor da Central Exportaminas, Jorge Duarte Oliveira, lembrou que o Estado prossegue no trabalho para diversificar a pauta mineira, tradicionalmente concentrada nos produtos da cadeia minero metalúrgica. "Independente da conjuntura de crise internacional ou de flutuações cambiais, o Governo do Estado mantém o compromisso de longo prazo de desenvolver ações para a maior inserção internacional de empresas de menor porte. Em 2009, mais de duas mil empresas participarão de projetos liderados ou apoiados pela Central Exportaminas", explicou o diretor. 

Escoamento 

O principal meio de escoamento das exportações mineiras continua sendo o modal marítimo. Dentre os portos usados pelas empresas de Minas destacam-se os de Vitória, Santos, Sepetiba e Rio de Janeiro. Já no modal aéreo o destaque é o Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, que é responsável por 4,4% das exportações mineiras. O Aeroporto Internacional Tancredo Neves (AITN), em Confins, apresentou expansão das exportações de 22,7% em relação ao primeiro semestre de 2008, porém ainda acusa baixa participação nas exportações do Estado, com o índice de 0,3%.


Agência Minas

--
farolcomunitario | rede web de informação e cultura

Seguidores