segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Cartilha e cartaz sobre prevenção de doenças nos rebanhos

Governo de Minas Gerais produz cartilha e cartaz sobre prevenção de doenças nos rebanhos. 

Material será repassado aos produtores rurais para ajudá-los a manter os animais sadios e consequente oferta de alimentos de qualidade

Cartilha traz informações detalhadas sobre as principais doenças que podem acometer os rebanhos | Divulgação/Seapa

O Governo de Minas Gerais produziu duas importantes peças de comunicação em apoio aos produtores rurais com orientações para o manejo correto dos rebanhos. 

As peças – cartaz e cartilha – foram produzidas pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) por meio do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), órgão responsável pela defesa agropecuária no estado.

O secretário de Agricultura de Minas João Cruz Reis Filho considera a produção do material um avanço que vai nortear as ações de defesa sanitária em Minas.

“Além de ser um material de alta qualidade e de conteúdo específico e bem direcionado, ele disponibiliza informações para o produtor que pode fazer um planejamento durante o ano de toda vacinação e medidas preventivas garantindo, assim, mais segurança para ele e a população”, diz o secretário.

O diretor-geral do IMA, Marcílio de Sousa Magalhães, argumenta que as duas peças foram criadas com o objetivo de orientar e dar subsídio aos produtores para que estejam sempre atentos, no seu dia a dia, às medidas preventivas em relação à saúde dos rebanhos, o que garante a oferta de produtos de qualidade e com segurança alimentar para a população.

“Esse material de apoio aos produtores se justifica uma vez que eles também são responsáveis pelas ações de defesa agropecuária que, na prática, começam dentro da fazenda. O IMA orienta, esclarece dúvidas e fiscaliza, mas a participação dos criadores é fundamental para que tenhamos uma defesa sanitária de qualidade”, pondera.

Magalhães ressalta a importância do material lembrando que as ações de defesa sanitária são fundamentais para o agronegócio, especialmente para as exportações mineiras e brasileiras. Ele lembra que Minas Gerais possui status de área livre de febre aftosa com vacinação e de peste suína clássica, respectivamente para bovinos e suínos, ambos obtidas junto à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). 

“Essa condição permite a venda dos produtos da bovino e da suinocultura de Minas no mercado internacional” argumenta, lembrando que de janeiro a outubro deste ano Minas Gerais exportou o equivalente a US$ 641 milhões no conjunto de carnes em geral, de acordo com dados da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa). Outro indicador importante lembrado pelo diretor-geral do IMA é a liderança mineira na produção nacional de leite, com 9,1 bilhões de litros/ano.

Cartilhas

O gerente de Educação Sanitária e Apoio à Agroindústria Familiar do IMA, Gilson de Assis Sales, explica que a “Cartilha de Apoio à Saúde Agropecuária” traz informações detalhadas sobre as principais doenças que podem acometer o gado, como febre aftosa, brucelose, tuberculose, doença da vaca louca e raiva.

No caso das aves e suínos, o material aborda doenças como influenza aviária e peste suína clássica, enquanto no caso dos equídeos aborda o mormo e anemia infecciosa equina.

Gilson Sales esclarece que a distribuição das cartilhas para os produtores rurais será feita nas ações e eventos de educação sanitária realizados pelo IMA e entidades parceiras ao longo do ano, como seminários, dias de campo e palestras, entre outros.

A publicação possui 20 páginas, com texto e ilustrações cujo conteúdo foi produzido pelos médicos veterinários do IMA. O gerente de Defesa Animal do IMA, Guilherme Negro, ressalta que a cartilha detalha os sinais clínicos que podem alertar o produtor para um animal doente, as ações a serem adotadas pelos criadores em caso de confirmação de animal infectado e os cuidados que devem ser tomados pelos produtores, trabalhadores rurais e tratadores no manejo dos animais.

“É importante frisar que a cartilha explica para os produtores os casos em que é obrigatória a notificação da suspeita de animal doente ao IMA para que o Instituto adote as medidas adequadas a cada caso”, diz Negro.

Cartazes

Os cartazes trazem de forma bastante clara as informações sobre as três vacinas obrigatórias e respectivas datas em que devem ser aplicadas pelos produtores rurais contra a febre aftosa (em bovinos e bubalinos), contra a brucelose (em bezerras bovinas com idade entre três e oito meses) e contra a raiva (em bovinos, búfalos, equídeos, caprinos e ovinos).

Os cartazes serão afixados em locais com grande circulação de produtores rurais, como as unidades do IMA em todo o estado (20 coordenadorias regionais e 208 escritórios seccionais), lojas de revenda de produtos veterinários, sindicatos, associações, cooperativas, escolas de agronegócio, prefeituras e secretarias municipais de agricultura e nos eventos com produtores, entre outros.

Seguidores