sábado, 6 de agosto de 2011

Governo inaugura 100 novas unidades da Farmácia de Minas

O governador Antonio Anastasia e o secretário de Saúde, Antônio Jorge/Lúcia Sebe/Secom MG
O governadorAntonio Anastasia inaugurou simultaneamente, nesta sexta-feira (5), 100 novas unidades da Rede Farmácia de Minas, em Belo Horizonte. O objetivo é construir 700 unidades até 2014, alcançando todas as regiões do Estado. O projeto começou a ser implantado em 2007, pelo Governo do Estado, para garantir o acesso da população aos medicamentos gratuitos distribuídos pelo SUS, com atendimento de profissionais qualificados e de maneira humanizada.
"Esse é um programa muito interessante, porque sabemos que, além da assistência à saúde, ou seja, atendimento médico, é muito importante que o cidadão possa receber o medicamento. Isso se dá gratuitamente através desse sistema, o Farmácia de Minas. Hoje é uma inauguração virtual em cem municípios mineiros. Até o final do nosso mandato queremos ter todo o Estado coberto. O objetivo é ter, além do acesso ao medicamento, orientação médica e orientação do farmacêutico. O paciente vai saber como tomar o remédio, quais são as condições, ou seja, vai ter um tratamento humanizado, acolhido, como se diz tecnicamente", disse o governador em entrevista.
Entre 8 de agosto e 30 de setembro, as cem novas unidades serão entregues à população. Com estas inaugurações, Minas passa a contar com 207 unidades da rede em funcionamento. Até o fim do ano, outras cem devem ser inauguradas.
A solenidade coincidiu com o Dia Nacional da Farmácia e a abertura do III Seminário Rede Farmácia de Minas, realizado no Auditório Juscelino Kubistchek, na Cidade Administrativa. O objetivo é dar ênfase à valorização do profissional farmacêutico. Estão incluídas na programação do evento, ao longo do dia, palestras e apresentações das experiências. Participam do evento mais de 400 farmacêuticos de municípios já contemplados pelo programa; superintendentes e diretores das Regionais de Saúde; prefeitos e secretários municipais de saúde.
Novas unidades
Entre 2007 e 2011, o Governo de Minas investiu R$ 70 milhões na rede, na adequação da infraestrutura e custeio do programa. O investimento do Tesouro do Estado nestas 100 novas unidades farmacêuticas é de R$ 9 milhões. As farmácias são implantadas por meio de parceria entre o Estado e o município. Para cada uma, foram destinados R$ 90 mil, sendo R$ 55 mil para a construção do prédio e R$ 35 mil para a montagem.
"Constituímos uma estratégia que é a estruturação de farmácias que tenham um arranjo arquitetônico que favorece à assistência farmacêutica, com acondicionamento dos medicamentos de forma adequada. É um investimento muito expressivo que tem dado um resultado muito interessante, com reconhecimento da população em relação à adequação das condições físicas", afirmou o secretário de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques.
Além dos recursos para implantação, as farmácias também recebem, por ano, 13 parcelas de R$ 1.200 para complementação salarial do farmacêutico responsável pela unidade. Em todas as farmácias, serão implantados o software Sigaf - Sistema Integrado de Gerenciamento da Assistência Farmacêutica, que  garante o gerenciamento adequado, controle dos medicamentos e cadastro dos pacientes atendidos pela farmácia, bem como de toda a rede.
"Minas avança e mostra que assistência farmacêutica não é simplesmente entregar o medicamento ao cidadão, ao paciente. É dar condições aos municípios, com estrutura física, acessibilidade ao paciente, condições dele ser bem atendido e, mais do que isso, garantir a presença do farmacêutico em tempo integral na farmácia para orientar o paciente na utilização correta do medicamento", declarou o presidente do Colegiado de Secretários Municipais de Saúde, Mauro Guimarães Junqueira.
A partir deste ano, passaram a ser atendidos municípios com população de até 30 mil habitantes. Até 2010, eram beneficiados pela rede municípios com menos de 10 mil habitantes. Entre 2007 e 2010, o Governo de Minas aumentou em 70% os recursos destinados a medicamentos para atenção primária, passando de R$ 56 milhões para R$ 96 milhões. A lista de medicamentos distribuídos aumentou de 107 itens para 154.
via Agência Minas
--
FarolComColetivo de Imprensa
rede web de informação e cultura

Seguidores