terça-feira, 9 de agosto de 2011

Convênio viabiliza pesquisa sobre o uso de efluente como fertilizante

Nesta terça-feira (9), será firmado convênio entre a Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) e a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) que visa o desenvolvimento de pesquisa sobre o uso da água residuária, resultantes do tratamento de esgoto doméstico, como fertilizante no cultivo da banana prata anã e do algodão irrigado. O convênio, no valor de R$ 152.738,48, será assinado pelo presidente da Copasa, Ricardo Simões; e pelo reitor João dos Reis Canela, às 18h, no prédio da reitoria.

Os recursos contemplarão dois projetos desenvolvidos no âmbito do curso de graduação de Agronomia e do mestrado em Produção Vegetal no Semiárido, ambos oferecidos pela Unimontes no Campus de Janaúba: "Ferti-irrigação da Bananeira Prata Anã com Mistura de Água Residuária de Frigorífico e Esgoto Doméstico" e "Ferti-irrigação do Algodoeiro com Esgoto Sanitário em Janaúba". O convênio terá validade de três anos.

O acordo de cooperação técnico-científica tem como objetivo avaliar os efeitos da aplicação de água residuária oriunda da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Janaúba sobre a nutrição e as características agronômicas da bananeira prata anã, bem como do algodoeiro e nas propriedades físico químicas do solo.

O montante envolvido faz parte do Programa de Modernização Tecnológica, gerido pela divisão de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico da Copasa. Os recursos serão aplicados na infraestrutura necessária para os experimentos, que incluirá a casa de bomba e outros equipamentos, que vão receber os efluentes resultantes do tratamento de esgoto doméstico de Janaúba e Nova Porteirinha, municípios vizinhos. A base de estudos será montada pela Unimontes numa área de um hectare, em Janaúba, que será cercada.

via Agência Minas
--

rede web de informação e cultura

Seguidores