segunda-feira, 16 de maio de 2011

Banco de Leite da Maternidade Odete Valadares precisa de doações

O Banco de Leite da Maternidade Odete Valadares (MOV), da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), está com o estoque baixo para atender à demanda para alimentar bebês prematuros de todo o Estado.

Segundo uma das coordenadoras, Maria Hercília Castro Barbosa e Silva, nesta segunda feira (16), o Banco de Leite conta com apenas 30 litros e, durante este mês, foram computados somente 100 litros. No mês passado, foram 251 litros.

Para doar, basta à mulher ser saudável e obedecer aos critérios de higienização na hora de retirar o leite a ser doado. O Banco de Leite realiza a coleta na casa da doadora, agendada previamente. Além de fornecer este precioso alimento aos bebês, o setor ainda orienta sobre aleitamento, quando as mães têm alguma dificuldade.

Apoio às mães

Além de seguir os dez passos sobre a promoção do aleitamento materno, a maternidade também atende mães com dificuldades para amamentar. O Banco de Leite da MOV, referência no Estado desde 1999, recebe doações de leite humano e o fornece para as mães que não podem amamentar; por isso, precisa manter seu estoque em quantidade suficiente para os bebês.

As doações são fundamentais para salvar vidas. Em 2009, o volume de leite coletado atingiu 3.440 litros. Nesse período, o único mês que atingiu a média necessária para suprir a demanda foi março, com um total de 440 litros coletados. Em 2010, o mês de junho fechou com apenas 250 litros. Por isso, o Banco de Leite está atualmente precisando de doações. "Atendemos um número grande de bebês que nascem prematuros, alérgicos ou com alguma patologia que gere perda de peso. O leite humano possui todos os nutrientes necessários, reduzindo o risco de doenças e influenciando na redução da mortalidade infantil", afirma a enfermeira do Banco de Leite, Iêda Ribeiro Passos.

O índice de aleitamento materno até o 6º mês de vida no Brasil passou de 7% na década de 70 para 42,24% na última pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde, em 2008. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a taxa de mortalidade infantil no primeiro ano de vida reduziu de 49 (1990) para 20 (2007) para cada 1.000 nascidos vivos.

Orientações às mães

A maternidade também incentiva e orienta as mães sobre os procedimentos corretos para amamentação e os cuidados com a mama, como, por exemplo: fazer massagem nos seios para retirar o excesso de leite, comum nos primeiros 15 dias após o parto; esvaziar o peito sempre que estiver com pontos doloridos ou endurecidos; e não usar compressa quente, para não queimar a pele do peito e piorar os casos de mama empedrada.

Caso a mama empedre, a mãe é orientada a fazer compressa fria ao redor da mama por dez minutos. O banho de sol, antes das 10h e depois das 16h por 15 minutos, na região aréolo-mamilar, também é indicado caso os seios estejam feridos.

Funcionamento do Banco de Leite

O Banco de Leite da MOV funciona diariamente, das 7h às 19h, mas o atendimento externo é feito de segunda à sexta-feira, das 8h às 17h. Quem quiser doar pode ligar para o serviço, nos telefones (31) 3337-5678 ou (31) 3298-6008, para agendar o recolhimento domiciliar. As mamães doadoras recebem certificado da MOV. O serviço também oferece treinamento e suporte técnico às instituições interessadas em implantar um banco de leite.

Conheça alguns passos sobre a promoção do aleitamento materno na MOV

• Informar a todas as gestantes atendidas sobre as vantagens e o manejo da amamentação;

• Ajudar as mães a iniciar a amamentação na primeira meia hora após o parto;

• Mostrar às mães como amamentar e como manter a lactação, mesmo se vierem a ser separadas de seus filhos;

• Não dar ao recém-nascido nenhum outro alimento ou bebida além do leite materno, a não ser que tenha indicação clínica;

• Praticar o alojamento conjunto - permitir que mães e bebês permaneçam juntos nas 24 horas do dia;

• Encorajar a amamentação sob livre demanda (sem intervalos e horários estabelecidos);

• Não dar bicos artificiais ou chupetas às crianças em fase de amamentação;

• Encorajar o estabelecimento de grupos de apoio à amamentação, para onde as mães devem ser encaminhadas por ocasião da alta hospitalar. 

Agência Minas

Veja o que já publicamos sobre Maternidade

Seguidores