terça-feira, 27 de abril de 2010

Gasmig não repassará aumento à tarifa do gás natural canalizado

BELO HORIZONTE (26/04/10) - A Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig) não repassará às tarifas de venda o aumento do custo de aquisição do gás natural canalizado, que abastece vários setores da indústria, conforme acordo celebrado com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede). O repasse zero foi possível devido a mudanças nas regras dos leilões eletrônicos realizados pela Petrobras e no modelo de operação da empresa mineira. Como primeiro reflexo dessa medida, não chegará ao consumidor final o aumento de 3,47% no custo do mix de aquisição ocorrido em 1º de abril deste ano, de acordo com os contratos de suprimento firmados pela Gasmig com a Petrobras e a GásLocal.

"O Governo de Minas, por meio da Gasmig, busca identificar continuamente mecanismos que viabilizem a redução do custo de aquisição de gás, com o objetivo de manter no Estado uma das tarifas mais atrativas do país", destaca o subsecretário de Desenvolvimento MineroMetalúrgico e Política Energética, Paulo Sérgio Ribeiro.

Até março, a participação da Gasmig nos leilões esteve vinculada ao atendimento das demandas de clientes industriais específicos, dispostos a assumir as condições estabelecidas pela Petrobras. A partir do 6º Leilão, realizado em 16 de março, a Gasmig passou a canalizar parte do gás adquirido para todo o mercado, de modo a compartilhar o benefício de menores preços com os demais clientes.

Esse mecanismo permitiu às indústrias diretamente envolvidas nos leilões continuar ganhando competitividade, tanto por intermédio de suas ofertas de aquisição, como pela ampliação da modicidade da tarifa de gás para todos os segmentos, inclusive o industrial. 

Paulo Sérgio lembra, ainda, que, em 1º de abril, a SEDE aprovou um reajuste extraordinário de 3,48% na tarifa do gás natural veicular (GNV), de forma a manter o preço constante até o final deste ano. "Essa elevação atípica foi proposta pelos integrantes da cadeia desse segmento e está inserida em um programa destinado a reativar o mercado de gás veicular em Minas Gerais", explica. Para o cálculo desse reajuste também foi considerado o volume de gás adquirido em leilão.


--
farolcomunitario | rede web de informação e cultura
coletivo de imprensa | www.coletivodeimprensa.jor.br

Seguidores