quinta-feira, 25 de março de 2010

Peças sacras mineiras serão procuradas pela Interpol em 188 países

Fotos e descrições sobre as peças sacras podem ser acessadas no corpo da matéria publicada no site: www.mp.mg.gov.br   
Peças sacras mineiras serão procuradas pela Interpol em 188 países
Parceria entre Ministério Público Estadual e Interpol em Minas prevê ações conjuntas para a recuperação do patrimônio cultural mineiro

Começa uma nova etapa nas buscas por peças sacras mineiras furtadas. Ações conjuntas da Representação Regional da Interpol em Minas Gerais e da Promotoria Estadual de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico possibilitarão a divulgação internacional desses bens culturais desaparecidos. A estimativa é que em cerca de 30 dias as imagens sacras estejam disponíveis para consulta no site da Interpol, que contém um banco de dados de bens culturais procurados. Esse arquivo orienta a atuação das polícias e das autoridades dos 188 países membros da instituição.
 A Promotoria de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico reuniu dados técnicos exigidos pela Interpol e solicitou formalmente a abertura do processo para a divulgação inicial de 46 peças sacras mineiras subtraídas das cidades de Serranos e Campanha (no Sul de Minas), Oliveira (Centro-Oeste de Minas) e Milho Verde (distrito de Serro, região Central de Minas). "Nessa primeira etapa trabalhamos apenas com quatro furtos, mas pretendemos disponibilizar à Interpol todos os bens que a Promotoria procura. Esse é o início de um trabalho que promete dar bons frutos", informou Marcos Paulo de Souza Miranda, coordenador da Promotoria Estadual. Segundo ele, para que esses bens sejam procurados pela Interpol, é necessário o preenchimento de requisitos técnicos rígidos.
 Para a representante da Interpol em Minas Gerais, delegada federal Fátima Bassalo, a inclusão das imagens sacras na chamada Lista de Difusão Branca da Interpol pode ajudar na recuperação desse patrimônio mineiro. "Nós vamos ganhar muito com isso, porque, em rede, conseguiremos que autoridades de todo o mundo conheçam os bens subtraídos de Minas Gerais, o que aumenta as chances de recuperação", afirmou a delegada, que enviará, nos próximos dias, todos os dados sobre as peças sacras ao Escritório Central da Interpol, em Brasília, onde as informações serão traduzidas para o inglês e o espanhol, e, posteriormente, enviadas à Secretaria Geral, em Lyon (França), responsável pela análise da admissibilidade e publicação da difusão.
 Segundo informações do Ministério Público Estadual, a Promotoria possui informações oficiais sobre 689 peças mineiras desaparecidas.
Os Municípios com maior número de peças subtraídas são: 
NOVA ERA                                                   57
OURO PRETO                                              53
MARIANA                                                      44
TIRADENTES                                             38
OLIVEIRA                                                      37
CONGONHAS                                             37
CAMPANHA                                                 36
OURO BRANCO                                           29
IBITURUNA                                                   27
CONCEICÃO DO MATO DENTRO            25
SANTA BÁRBARA                                        23
SERRO                                                          23
SÃO JOÃO DEL REI                                20
MINAS NOVAS                                              16
NAZARENO                                                  16
PIRANGA                                                      15
DIAMANTINA                                                14
ALVORADA DE MINAS                             13
CHAPADA DO NORTE                           12
SABARÁ                                                       12
Assessoria de Comunicação do Ministério Público de Minas Gerais – Núcleo de Imprensa
-- 
farolcomunitario | rede web de informação e cultura

Seguidores