quarta-feira, 31 de março de 2010

Construção Civil - Campanha salarial: Assembleia aprova pauta

Uberlândia-MG (30/03/2010) – Aprovada a Pauta de Reivindicações dos setores da Construção Civil, Cerâmica e Olaria; Elétrica e Produtos de Cimento, cuja data base é maio, durante assembleia geral das categorias realizada na última sexta-feira, 26.

 

Além da Pauta de Reivindicações, a assembleia aprovou ainda o Indicativo de Greve e Assembleia Permanente.

 

Entre as reivindicações que serão encaminhadas à classe patronal se destacam a manutenção de todas as clausulas já conquistadas em convenções anteriores, como por exemplo, a manutenção do fornecimento de cesta básica de alimentos [descrita da seguinte forma, ou seja, com os itens: 15Kg (quinze quilos)  de arroz agulinha tipo 1 (um); 1,5kg (um quilo e meio) de açúcar cristal; 2kg (dois quilos) de feijão carioca tipo 1 novo; 4grf (garrafas/latas de 900ml) de óleo vegetal  e/ou soja refinado tipo 1; 2kg (dois quilos) de macarrão com ovos; 1kg (um quilo) de sal refinado; 2lt (duas latas de 370g, cada) de extrato de tomate de primeira qualidade; 5 (cinco) quadro de sabão glicerinado; 1lt ou pct (lata ou pacote) de 500g ou 500ml de goiabada – não servindo marmelada – 500g (quinhentos gramas ou meio quilo) de café torrado e moído de primeira qualidade];

 

Quanto ao reajuste salarial estabeleceu-se que deve ser com base no índice inflacionário compreendido entre maio de 2009 e abril de 2010, de tal forma que possibilite recuperação do poder aquisitivo dos salários e ofereça ganho real, na ordem de 16,90% (dezesseis vírgula noventa por cento).

 

Outros aspectos aprovados dizem respeito a implantação de um plano de saúde, completo, para o trabalhador e seus dependentes; discussão permanente de remuneração variável, considerando os ganhos de produtividade do setor; implantação do Kit higiene nas obras; definição do plano básico de participação nos lucros e resultados a ser negociado com as empresas; inclusão total das tarefas na folha de pagamento (holerite); horas extras no limite da lei e com 75%; alteração da data-base da categoria para novembro ou janeiro; melhoria no Seguro de Vida, com acompanhamento do Sinticom-TAP; ampliação da licença maternidade; redução da jornada de trabalho para 40 horas.

 

O presidente do Sinticom-TAP, Reinaldo Rosa de Souza, salienta que "face às dificuldades enfrentadas pelos trabalhadores, esperamos que a classe patronal se sensibilize e atenda às reivindicações, evitando assim a deflagração de uma greve geral das categorias." Lembra ainda que "nessa atual conjuntura, em que principalmente Uberlândia é um grande canteiro de obras, o setor da construção civil nunca se vivenciou um momento tão bom, com ganhos reais para o setor empresarial de forma inconteste."

 

Alaor Barbosa Jr.
Ascom Sinticom-TAP


--
farolcomunitario | rede web de informação e cultura

Seguidores