terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Projovem Urbano dá aos mineiros a oportunidade de voltar aos estudos

BELO HORIZONTE (02/02/10) - Cerca de  25 mil mineiros, de 18 a 29 anos, estão tendo  a oportunidade de concluírem o ensino fundamental graças ao Projovem Urbano, parceria entre União e Estado, que  leva a 62 municípios todo o suporte para que milhares de jovens concluam as atividades de 5° a 8° séries. Para viabilizar a permanência no Projovem Urbano, os alunos recebem uma bolsa-auxilio de R$100 por mês. Em contrapartida, precisam ter 75% de frequência e dedicação às atividades.

A maior parte dos beneficiados é de famílias pobres - jovens que começam a trabalhar cedo e abandonam os estudos. O programa existe desde junho de 2009 e tem o objetivo de elevar a escolaridade dos trabalhadores, propiciando sua inserção no mercado de trabalho e o desenvolvimento de ações comunitárias. A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social é a responsável pela gestão do programa em Minas.

A subsecretária de Assistência Social, Roberta de Lima, acredita que o programa desperta no jovem a vontade de voltar a estudar, promovendo seu retorno ao sistema de educação. "É uma oportunidade de resgatar o ensino fundamental e a qualificação, base mínima da inserção da juventude no mundo do trabalho. Além de resgatar a lacuna criada com o tempo fora da escola, possibilita a inserção no mundo do trabalho", ressaltou.

Com duração de 18 a 20 meses, o Projovem envolve os participantes em matérias específicas como ciências humanas, língua portuguesa, inglês, matemática, ciências da natureza, participação cidadã e também em atividades de pesquisas de campo, palestras, relacionadas à qualificação profissional, construção e reparos, agroextrativismo, telemática, saúde, serviços domésticos.

O coordenador pedagógico Pedro Daudt conheceu de perto a realidade dos alunos de Muriaé, na Zona da Mata. "As turmas estavam cheias e os alunos muito satisfeitos com os educadores e com o programa",contou.  Para este ano, a previsão é que novos municípios sejam incluídos no programa. Podem participar jovens que saibam ler e escrever, mas não concluíram o ensino fundamental.

Volta à sala de aula

Com a chegada do Projovem Urbano no município de Campestre, no Sul de Minas, a ex-costureira Clarete Gonçalves Magalhães, de 25 anos, encontrou a oportunidade para retomar seus estudos. A necessidade de trabalhar e cuidar dos pais, hoje falecidos, interrompeu por 12 anos a frequência dela nas salas de aula. "Mudei de cidade e comecei a trabalhar muito cedo, depois voltei para Campestre para cuidar dos meus pais e só agora pude retomar meus estudos. Sempre tive vontade de voltar e só agora foi possível", explicou.

Com boas perspectivas para o futuro, a jovem, que termina o ensino fundamental no fim deste ano, acredita que com a elevação de sua escolaridade as chances para conseguir um bom emprego vão aumentar e aproveita tudo que o programa oferece. "Estou gostando muito porque a gente aprende de verdade e os colegas também são interessados. Ainda tenho oportunidade de fazer um curso de computação e outro básico na área de saúde. Isso tudo me aproxima do meu objetivo, de me formar em enfermagem mais tarde", declarou.

Cidades atendidas

Alfenas, Almenara, Araguari, Araxá, Barbacena, Boa Esperança, Bocaiúva, Bom Despacho, Camanducaia, Campestre, Campo Belo, Caratinga, Carmo do Paranaíba, Cataguases, Cláudio, Conselheiro Lafaiete, Curvelo, Diamantina, Frutal, Guaxupé, Ibirité, Igarapé, Ipaba, Ipuiuna, Itabira, Itajubá, Itaúna, Ituiutaba, Janaúba, João Monlevade, Lagoa da Prata, Lagoa Santa, Lavras, Leopoldina, Machado, Mariana, Monte Carmelo, Muriaé, Nanuque, Nova Serrana, Oliveira, Ouro Preto, Pará de Minas, Paracatu, Passos, Patos de Minas, Patrocínio, Pedro Leopoldo, Pirapora, Poços de Caldas, Pompeu, Ponte Nova, Pouso Alegre, Sabará, Salinas, São João del-Rei, São Sebastião do Paraíso, Timóteo, Ubaí, Varginha, Vespasiano e Viçosa.

Agência Minas

--
farolcomunitario | rede web de informação e cultura

Seguidores